terça-feira, 29 de agosto de 2017

Valor Nutricional da Beterraba


beterraba (nome científico Beta vulgaris) é uma hortaliça herbácea da família Chenopodiaceae, à qual pertencem também o espinafre verdadeiro e a acelga.
Originária da costa do Mediterrâneo, ela se divide em três tipos: a beterraba açucareira, de cor branca, que é bastante cultivada na Europa, a beterraba forrageira, utilizada na alimentação animal, e a beterraba cujas raízes são consumidas como hortaliça.
Esta última é mais conhecida aqui no Brasil. A raiz tuberosa da beterraba é um dos alimentos vegetais mais versáteis que existem. Pode ser consumida crua ou cozida, em pratos salgados ou doces. Sucos, bolos, suflês, sopas, cremes, patês, saladas, pães…
Em tudo isso, a beterraba pode figurar como ingrediente. E, com sua cor vibrante, embeleza qualquer prato e qualquer mesa. Sem falar que além da raiz, suas folhas também podem ser usadas em pratos como omeletes, bolinhos e refogados.
As qualidades nutritivas fazem da beterraba presença obrigatória na nossa alimentação.
É uma das hortaliças mais ricas em ferro e possui bom teor de proteínas. Combate a anemia, pois ajuda a formar os glóbulos vermelhos do sangue. Também é rica em potássio, sódio e cloro, e contém zinco, elemento necessário aos tecidos cerebrais.
A beterraba prefere temperaturas amenas, entre 10 e 20 graus, mas é cultivada durante todo o ano no Brasil. O modo de plantio mais utilizado no país é o direto.

Mas em algumas regiões, os produtores semeiam em viveiro para transplante posterior.
Prefere solos ricos em matéria orgânica e com pH variando de 5,5 a 6,2. O ciclo varia de 60 dias no verão até cem dias no inverno, dependendo da cultivar e do modo de plantio. Mas você sabia que até bem pouco tempo todas as sementes de beterraba comercializadas no Brasil eram importadas?
Em 1985, a Isla iniciou um trabalho de desenvolvimento e produção de sementes a partir de 35 variedades fornecidas pelo Centro Nacional de Pesquisas de Hortaliças (CNPH) da Embrapa.
Surgia assim a Beterraba Itapuã, que se caracteriza pela excelente cor verde das folhas, tolerância à cercóspora e baixa incidência de anéis brancos.
O processo de melhoramento é contínuo e a cada ano a Isla disponibiliza para o mercado nacional sementes que vão produzir beterrabas com características sempre melhores. Aliás, outra característica que vem agradando muito os produtores é a precocidade da Beterraba Itapuã.
Há relatos de que, em condições ideais, o ciclo do plantio até a colheita foi de menos de 50 dias. A Itapuã foi a primeira e, até agora, é a única cultivar nacional de beterraba.
Além da Beterraba Itapuã, a Isla também comercializa as beterrabas Chata do Egito, Maravilha, Early Wonder Tall Top e a Vermelha Comprida.
Todas as beterrabas estão disponíveis em latas de 50, 100 e 400 gramas e em baldes de 5 quilos.
beterraba, o legume roxinho presente em boa parte das refeições dos brasileiros, tem mais um motivo para ser consumida.
O período de março, abril e maio é temporada da raiz.

Versátil, ela pode ser ingrediente de uma salada a uma sobremesa ou de um prato salgado.
E, o melhor, você pode comê-la à vontade, pois, apesar do alto índice de açúcar, a raiz possui poucas calorias.
Para exemplificar: um legume de 100 gramas tem apenas 49 calorias.
Além de açúcar, a beterraba é rica em vitaminas A, C e do complexo B, além dos minerais, entre eles o potássio, o zinco, o magnésio e o ferro.
Mas, para aproveitar ao máximo os benefícios proporcionados pela ingestão da beterraba, o ideal é que você saiba como escolher o legume e como armazená-lo para que, na hora de preparar as refeições, você possa usufruir de todas as vantagens nutricionais da raiz.
Ao comprar, fique atento para a textura.
Evite os que estiverem com a pele enrugada ou com aparência murcha. Prefira sempre os de casca lisa, com cor intensa e sem rachaduras ou sinais de brotos.
Atenção também para as beterrabas maiores.
Evite-as. Elas podem ter sido colhidas tardiamente, o que caracterizará uma textura fibrosa da polpa.
Se preferir comprá-la já picada ou ralada, ela deve estar embalada e mantida em refrigeração. Do contrário, a beterraba se deteriora rapidamente.
Quando for guardá-las, se optar pela fruteira, o ideal é que elas fiquem em um local fresco abrigado da luz solar.
Dessa forma, a raiz se conserva por até uma semana.
Se preferir armazená-las na geladeira, elas duram 15 dias, mas é preciso protegê-las com um saco plástico com perfurações para que possam respirar.

Beterraba cozida

TACO – Tabela Brasileira de Composição de Alimentos
Tabela de valor Nutricional
Porção de 100 gramas:
 % VD*
Valor energético32.2kcal = 135kj2%
Carboidratos7,2g2%
Proteínas1,3g2%
Fibra alimentar1,9g8%
Cálcio15,3mg2%
Vitamina C1,2mg3%
Fósforo30,1mg4%
Manganês0,2mg9%
Magnésio16,5mg6%
Lipídios0,1g
Ferro0,2mg1%
Potássio245,5mg
Cobre0,0ug0%
Zinco0,4mg6%
Tiamina B10,1mg7%
Sódio22,8mg1%

Embora existam vários tipos de beterraba, os mais conhecidos são: a vermelha, usada na alimentação, e a branca, cultivada em países frios para a extração do açúcar.
Quando consumida crua preserva suas propriedades nutricionais.
No Brasil, a beterraba não é muito consumi a. Ela pode ser comida crua – ralada, em saladas, ou em forma de suco – e cozida, em diferentes pratos, como ensopados, purês, cremes, sopas e cozidos.
Mas lembre-se que, para cozinhar a beterraba, você nunca deve descascá-la antes. Sem a pele, ela desbota, perde seus nutrientes e fica aguada.
As folhas da beterraba também são consumidas, cruas ou cozidas.
beterraba é muito rica em vitaminas e sais minerais.
Os nutrientes se concentram mais nas folhas, mas a raiz também tem vitaminas A, B e C (esta última só é aproveitada pelo organismo quando a beterraba é comida crua). Além disso, ela tem ainda cálcio, ferro e açúcar, que lhe confere o seu sabor adocicado.
Escolha beterrabas de cor bem forte e tamanho médio, de 5 a 7 cm de diâmetro, pois são as de melhor sabor e de consistência mais macia – as muito grandes ficam um pouco aguadas depois de cozidas. A casca deve ser lisa e uniforme, sem manchas ou rachaduras. Também é importante que as folhas sejam brilhantes viçosas sinal de que legume está fresco.
Lave bem a raiz sob água corrente, usando um escova macia. Tome cuidado para não romper a casca da beterraba, que é muito fina.
As folhas da beterraba devem ser consumidas rapidamente porque estragam com muita facilidade. A raiz, colocada em saco plástico, conserva-se na gaveta da geladeira durante 5 ou 6 dias.

A beterraba cozida pode ser conservada por um período maior se for colocada num molho de vinagre ou de azeite. Também pode ser congelada depois de passar por um tratamento especial.
beterraba vermelha é a mais conhecida de todas as espécies de beterrabas (conhecida por beet nos EUA e beetroot na Inglaterra), e ela é parte da família das Chenopodiacias (goosefoot).
Outros membros desta família incluem a couve, o mangelwurzel (espécie de raiz amarela e longa), e a beterraba doce.
A beterraba é descendente de uma planta marinha originária do Mediterrâneo e das regiões do Atlântico Norte na Europa e África do Norte, e foi primeiramente descoberta pelos romanos.
É interessante notar que a beterraba, da forma que a conhecemos hoje, só veio a ter esse formato arredondado e de cor avermelhada a partir do século 17.
A cor da beterraba vem da combinação de dois tipos de pigmentos:betacianina (roxo) e betaxanatina (amarelo).
Porém atualmente existem beterrabas de cores variadas, como a beterraba amarelo-ouro e a listrada de diversas cores (assim como um pirulito).
As beterrabas são ricas em vitaminas e minerais. A raiz contém folato (bom principalmente para mulheres grávidas), potássio, manganês, fibras, anti-oxidantes e vitamina C.
As partículas químicas que causam o pigmento vermelho também contém agentes anti-cancerígenos, e de fato a beterraba tem sido usada no tratamento de câncer já há algum tempo.
Apesar das beterrabas conterem mais açúcar do que a cenoura e o milho, elas mantêm um sabor extremamente “terrestre”, que vem de um componente químico chamado geosmina.
As folhas de beterraba são muito nutritivas e não devem ser postas de lado quando se prepara a raiz.
Elas contêm cálcio, beta-caroteno, ferro e vitamina A. Simplesmente pique as folhas e cozinhe-as da mesma maneira que o espinafre.
Para se cozinhar a beterraba é importante que se esfregue a casca para limpá-la, sem no entanto removê-la.
Se a beterraba for descascada previamente, sua cor se perde na água de cocção e isso não só a deixa- com um aspecto “anêmico”, como também pode- manchar a panela e os utensílios.
As beterrabas ficam deliciosas se embrulhadas em papel alumínio e assadas com um pouco de manteiga e vinagre balsâmico, ou raladas cruas para uma salada com grãos de mostarda.


Nenhum comentário:

Postar um comentário