terça-feira, 29 de agosto de 2017

Valor Nutricional da Beterraba


beterraba (nome científico Beta vulgaris) é uma hortaliça herbácea da família Chenopodiaceae, à qual pertencem também o espinafre verdadeiro e a acelga.
Originária da costa do Mediterrâneo, ela se divide em três tipos: a beterraba açucareira, de cor branca, que é bastante cultivada na Europa, a beterraba forrageira, utilizada na alimentação animal, e a beterraba cujas raízes são consumidas como hortaliça.
Esta última é mais conhecida aqui no Brasil. A raiz tuberosa da beterraba é um dos alimentos vegetais mais versáteis que existem. Pode ser consumida crua ou cozida, em pratos salgados ou doces. Sucos, bolos, suflês, sopas, cremes, patês, saladas, pães…
Em tudo isso, a beterraba pode figurar como ingrediente. E, com sua cor vibrante, embeleza qualquer prato e qualquer mesa. Sem falar que além da raiz, suas folhas também podem ser usadas em pratos como omeletes, bolinhos e refogados.
As qualidades nutritivas fazem da beterraba presença obrigatória na nossa alimentação.
É uma das hortaliças mais ricas em ferro e possui bom teor de proteínas. Combate a anemia, pois ajuda a formar os glóbulos vermelhos do sangue. Também é rica em potássio, sódio e cloro, e contém zinco, elemento necessário aos tecidos cerebrais.
A beterraba prefere temperaturas amenas, entre 10 e 20 graus, mas é cultivada durante todo o ano no Brasil. O modo de plantio mais utilizado no país é o direto.

Mas em algumas regiões, os produtores semeiam em viveiro para transplante posterior.
Prefere solos ricos em matéria orgânica e com pH variando de 5,5 a 6,2. O ciclo varia de 60 dias no verão até cem dias no inverno, dependendo da cultivar e do modo de plantio. Mas você sabia que até bem pouco tempo todas as sementes de beterraba comercializadas no Brasil eram importadas?
Em 1985, a Isla iniciou um trabalho de desenvolvimento e produção de sementes a partir de 35 variedades fornecidas pelo Centro Nacional de Pesquisas de Hortaliças (CNPH) da Embrapa.
Surgia assim a Beterraba Itapuã, que se caracteriza pela excelente cor verde das folhas, tolerância à cercóspora e baixa incidência de anéis brancos.
O processo de melhoramento é contínuo e a cada ano a Isla disponibiliza para o mercado nacional sementes que vão produzir beterrabas com características sempre melhores. Aliás, outra característica que vem agradando muito os produtores é a precocidade da Beterraba Itapuã.
Há relatos de que, em condições ideais, o ciclo do plantio até a colheita foi de menos de 50 dias. A Itapuã foi a primeira e, até agora, é a única cultivar nacional de beterraba.
Além da Beterraba Itapuã, a Isla também comercializa as beterrabas Chata do Egito, Maravilha, Early Wonder Tall Top e a Vermelha Comprida.
Todas as beterrabas estão disponíveis em latas de 50, 100 e 400 gramas e em baldes de 5 quilos.
beterraba, o legume roxinho presente em boa parte das refeições dos brasileiros, tem mais um motivo para ser consumida.
O período de março, abril e maio é temporada da raiz.

Versátil, ela pode ser ingrediente de uma salada a uma sobremesa ou de um prato salgado.
E, o melhor, você pode comê-la à vontade, pois, apesar do alto índice de açúcar, a raiz possui poucas calorias.
Para exemplificar: um legume de 100 gramas tem apenas 49 calorias.
Além de açúcar, a beterraba é rica em vitaminas A, C e do complexo B, além dos minerais, entre eles o potássio, o zinco, o magnésio e o ferro.
Mas, para aproveitar ao máximo os benefícios proporcionados pela ingestão da beterraba, o ideal é que você saiba como escolher o legume e como armazená-lo para que, na hora de preparar as refeições, você possa usufruir de todas as vantagens nutricionais da raiz.
Ao comprar, fique atento para a textura.
Evite os que estiverem com a pele enrugada ou com aparência murcha. Prefira sempre os de casca lisa, com cor intensa e sem rachaduras ou sinais de brotos.
Atenção também para as beterrabas maiores.
Evite-as. Elas podem ter sido colhidas tardiamente, o que caracterizará uma textura fibrosa da polpa.
Se preferir comprá-la já picada ou ralada, ela deve estar embalada e mantida em refrigeração. Do contrário, a beterraba se deteriora rapidamente.
Quando for guardá-las, se optar pela fruteira, o ideal é que elas fiquem em um local fresco abrigado da luz solar.
Dessa forma, a raiz se conserva por até uma semana.
Se preferir armazená-las na geladeira, elas duram 15 dias, mas é preciso protegê-las com um saco plástico com perfurações para que possam respirar.

Beterraba cozida

TACO – Tabela Brasileira de Composição de Alimentos
Tabela de valor Nutricional
Porção de 100 gramas:
 % VD*
Valor energético32.2kcal = 135kj2%
Carboidratos7,2g2%
Proteínas1,3g2%
Fibra alimentar1,9g8%
Cálcio15,3mg2%
Vitamina C1,2mg3%
Fósforo30,1mg4%
Manganês0,2mg9%
Magnésio16,5mg6%
Lipídios0,1g
Ferro0,2mg1%
Potássio245,5mg
Cobre0,0ug0%
Zinco0,4mg6%
Tiamina B10,1mg7%
Sódio22,8mg1%

Embora existam vários tipos de beterraba, os mais conhecidos são: a vermelha, usada na alimentação, e a branca, cultivada em países frios para a extração do açúcar.
Quando consumida crua preserva suas propriedades nutricionais.
No Brasil, a beterraba não é muito consumi a. Ela pode ser comida crua – ralada, em saladas, ou em forma de suco – e cozida, em diferentes pratos, como ensopados, purês, cremes, sopas e cozidos.
Mas lembre-se que, para cozinhar a beterraba, você nunca deve descascá-la antes. Sem a pele, ela desbota, perde seus nutrientes e fica aguada.
As folhas da beterraba também são consumidas, cruas ou cozidas.
beterraba é muito rica em vitaminas e sais minerais.
Os nutrientes se concentram mais nas folhas, mas a raiz também tem vitaminas A, B e C (esta última só é aproveitada pelo organismo quando a beterraba é comida crua). Além disso, ela tem ainda cálcio, ferro e açúcar, que lhe confere o seu sabor adocicado.
Escolha beterrabas de cor bem forte e tamanho médio, de 5 a 7 cm de diâmetro, pois são as de melhor sabor e de consistência mais macia – as muito grandes ficam um pouco aguadas depois de cozidas. A casca deve ser lisa e uniforme, sem manchas ou rachaduras. Também é importante que as folhas sejam brilhantes viçosas sinal de que legume está fresco.
Lave bem a raiz sob água corrente, usando um escova macia. Tome cuidado para não romper a casca da beterraba, que é muito fina.
As folhas da beterraba devem ser consumidas rapidamente porque estragam com muita facilidade. A raiz, colocada em saco plástico, conserva-se na gaveta da geladeira durante 5 ou 6 dias.

A beterraba cozida pode ser conservada por um período maior se for colocada num molho de vinagre ou de azeite. Também pode ser congelada depois de passar por um tratamento especial.
beterraba vermelha é a mais conhecida de todas as espécies de beterrabas (conhecida por beet nos EUA e beetroot na Inglaterra), e ela é parte da família das Chenopodiacias (goosefoot).
Outros membros desta família incluem a couve, o mangelwurzel (espécie de raiz amarela e longa), e a beterraba doce.
A beterraba é descendente de uma planta marinha originária do Mediterrâneo e das regiões do Atlântico Norte na Europa e África do Norte, e foi primeiramente descoberta pelos romanos.
É interessante notar que a beterraba, da forma que a conhecemos hoje, só veio a ter esse formato arredondado e de cor avermelhada a partir do século 17.
A cor da beterraba vem da combinação de dois tipos de pigmentos:betacianina (roxo) e betaxanatina (amarelo).
Porém atualmente existem beterrabas de cores variadas, como a beterraba amarelo-ouro e a listrada de diversas cores (assim como um pirulito).
As beterrabas são ricas em vitaminas e minerais. A raiz contém folato (bom principalmente para mulheres grávidas), potássio, manganês, fibras, anti-oxidantes e vitamina C.
As partículas químicas que causam o pigmento vermelho também contém agentes anti-cancerígenos, e de fato a beterraba tem sido usada no tratamento de câncer já há algum tempo.
Apesar das beterrabas conterem mais açúcar do que a cenoura e o milho, elas mantêm um sabor extremamente “terrestre”, que vem de um componente químico chamado geosmina.
As folhas de beterraba são muito nutritivas e não devem ser postas de lado quando se prepara a raiz.
Elas contêm cálcio, beta-caroteno, ferro e vitamina A. Simplesmente pique as folhas e cozinhe-as da mesma maneira que o espinafre.
Para se cozinhar a beterraba é importante que se esfregue a casca para limpá-la, sem no entanto removê-la.
Se a beterraba for descascada previamente, sua cor se perde na água de cocção e isso não só a deixa- com um aspecto “anêmico”, como também pode- manchar a panela e os utensílios.
As beterrabas ficam deliciosas se embrulhadas em papel alumínio e assadas com um pouco de manteiga e vinagre balsâmico, ou raladas cruas para uma salada com grãos de mostarda.


sábado, 26 de agosto de 2017

Caracteristicas da Beterraba



Vegetal rico em nutrientes
A beterraba é uma raiz tuberosa rica em açúcar, proteínas, vitamina A, B1, B2, B5, C, potássio, sódio, fósforo, cálcio, zinco, ferro e manganês. Além de se destacar por ser o vegetal mais doce, destaca-se pela sua riqueza em ferro. Sua poderosa vitamina C é potencializada por sua ação antioxidante (alguns pesquisadores dizem que a vitamina C da beterrada só é metabolizada pelo organismo quando consumimos o vegetal cru). 




Dentre os benefícios que traz ao organismo pode-se destacar: combate contra a anemia, a perda excessiva de líquidos, problemas no baço e fígado, prisão de ventre e outros. Pode ser consumida crua ou cozida, sob a forma de sucos, saladas, bolos, refogados e em omeletes. 
Para comprar beterraba certifique-se de que a coloração se encontra concentrada e ainda atente para o tamanho. Beterrabas médias e pequenas são as ideais. A casca deve estar lisa e as folhas brilhantes.

A beterraba é um vegetal muito versátil e uma ótima boa fonte de folato e vitamina C. Pode ser fervida e servida como acompanhamento, usada em conserva, salada ou condimento. As folhas da beterraba, partes mais nutritivas do vegetal, podem ser cozidas e servidas como espinafre ou a acelga. As beterrabas mais saborosas são as pequenas, com as folhas ainda pressas.
A melhor maneira de cozinhar as raízes da beterraba é fervê-las com casca, pois assim a maior parte dos nutrientes e a cor vermelha permanecerão. Depois que esfriarem, as cascas sairão facilmente e a raiz poderá ser fatiada, ralada, ou ser transformada em purê. As beterrabas podem ser servidas como picles (conservas preparadas com vinagre).



As beterrabas são classificadas em três tipos: a açucareira, usada para produção de açúcar, a forrageira, usada para alimentação animal e aquela cujas raízes são consumidas como hortaliça, sendo a mais conhecida no Brasil.

Embora produza melhor em épocas de clima ameno, a beterraba é cultivada durante todo o ano. Quanto aos solos, são preferíveis aqueles leves e bem drenados.

O cultivo pode ser feito direto no canteiro ou por meio de mudas, porém, a segunda forma apresenta melhores resultados. Em ambos os casos, tanto no preparo das mudas nas semeadeiras como no plantio direto na terra, a distância deve ser de 25 a 30 centímetros entre as fileiras e a mesma distância entre si.

Os agrônomos recomendam que a adubagem seja feita com compostos orgânicos e adubo químico e a irrigação deve ser leve e freqüente.

A colheita tem início entre 60 e 70 dias após a semeadura, ou quando as beterrabas atingirem diâmetro maior que cinco centímetros, ainda tenras. Pelo método de transplantio das mudas, o ciclo se prolonga por mais 20 ou 30 dias.

Após a colheita, as raízes são lavadas e, em seguida, comercializadas em maços ou em caixas tipo K. A produtividade normal varia de 15 a 30 toneladas de raízes tuberosas por hectare. A rotação da cultura deve ser feita com repolho, alface, cenoura, berinjela, adubos verdes e cereais.

As pragas comuns nas lavouras de beterraba são lagartas, nematóides, vaquinhas e pulgões. Já as doenças que mais atingem as plantações são a mancha-de-cercospora, podridão da raiz, mancha de alternaria, ferrugem e míldio.

As principais variedades plantadas no país são Tall Top Early Wonder, Earty Wonder, Asgrow Wonder, Ruby Queen e Detroit Dark Red.

No Brasil, a beterraba é mais cultivada nos estados de São Paulo, Minas Gerais e nos estados da região Sul.


Beterraba

A beterraba é uma raiz que aparece em duas colorações: branca, de onde se extrai o açúcar; e vermelha, que é utilizada na alimentação.

Além do açúcar, esse legume é muito rico em vitaminas A, do Complexo B e vitamina C (que só é aproveitada pelo organismo quando a beterraba é consumida crua) e, em sais minerais, como Sódio, que protege o organismo contra a perda excessiva de líquidos; Potássio, necessário para a atividade muscular normal; Zinco, elemento necessário aos tecidos cerebrais; e Magnésio, que é constituinte do osso e regula as funções musculares e nervosas.

Esta hortaliça é recomendada para anêmicos por sua riqueza em Ferro, para quem tem dentes fracos ou gengivas inflamadas e aqueles que tem problemas intestinais, devido a seu efeito laxante. As pessoas com dentes fracos, atacadas de piorréia, devem fazer uso do suco de beterraba pelo menos três vezes por semana.

A beterraba também é um ótimo remédio para combater os desarranjos do baço e do fígado, enquanto que suas folhas em forma de cataplasma, com um pouco de gordura, são empregadas como refrescantes nas feridas da pele e inflamações em geral.

Para os que sofrem de pedras na bexiga, um remédio eficaz é ferver uma beterraba e tomar seu caldo três vezes ao dia.

O suco de beterraba, por sua vez, é tônico, refrescante e diurético, e combate a litíase renal, descongestionando as vias urinárias.

Ao comprar, escolha beterrabas de cor bem concentrada e tamanho médio. A casca deve ser lisa, sem rachaduras e com folhas brilhantes, sinal de que o legume está fresco. Ao cozinhar essa raiz, deixe 3cm de talo e não corte sua parte terminal.

Esses cuidados evitam que a beterraba perca líquidos durante o cozimento, o que acentua seu sabor e a deixe com cor mais concentrada.

A beterraba pode ser consumida de diversas maneiras: temperada com suco de laranja, que lhe dá um sabor diferente, deixando-a mais gostosa; pode ser frita, como batatas; batidas no liquidificador com leite; em sopas com outros legumes, ou ainda cozida e servida em forma de saladas. São pratos muito nutritivos.

Seu período de safra é de agosto a fevereiro.

Cem gramas de beterraba fornecem 42 calorias e igual quantidade de folhas desta hortaliça fornecem 38 calorias.

A beterraba é uma raiz

Existe a beterraba branca, de onde se extrai o açúcar, e a vermelha, usada em saladas, sopas, suflês, sucos, etc…

A beterraba é muito rica em vitamina A, vitamina C, e do Complexo B.

É recomendada para combater a anemia, por conter uma grande quantidade de ferro, e tem efeito laxante.

Em 1747, um alemão, Margraff, extraiu o açúcar da beterraba, mas industrializá-lo ainda ficava inviável, devido ao preço de custo.

Em 2 de janeiro de 1812, Delessert, que concretizava a extração industrial do açúcar da beterraba, oferece a Napoleão I o primeiro pão de açúcar.

Este mercado foi crescendo, e em 1875, a França, primeiro produtor de açúcar da Europa, produzia 450 mil toneladas.

Para evitar que a beterraba perca muito liquido durante o processo de cozimento, deixe 3cm de talo, e não corte a sua parte terminal.

Variedades

São as seguintes:

Vermelha Chata do Egito
Redonda
Roxa Comprida

Pragas e Moléstias

Os insetos que atacam são a vaquinha, a lagarta-rosca e a larva-minadora das folhas. As moléstias mais comuns são a podridão da raiz, mancha alternária (folhas), o tombamento e a ferrugem.

Curiosidades

A extração industrial do açucar de beterraba começou por volta de 1805, em face do bloqueio continental imposto por Napoleão.





quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Beterraba: As plantas curam



SUCO DE BETERRABA BAIXA PRESSÃO ARTERIAL
Pesquisa britânica publicada na revista Hipertension afirma que o consumo de meio litro de SUCO de BETERRABA por dia pode ajudar a baixar a pressão arterial. A substância chave encontrada nesse vegetal é o nitrato, que também existe nos alimentos verde-escuros e folhosos. Os estudiosos usaram voluntários saudáveis para pesquisa. Concluíram que a pressão ARTERIAL deles diminuiu uma hora depois de consumido o suco de beterraba, mas o efeito era mais forte depois de três a quatro horas. E continuava a ser sentido até 24 horas depois de tomada a bebida. Outra conclusão da pesquisa é que consumir suco de beterraba e outros vegetais ricos em nitrato constitui maneira simples de manter um sistema cardiovascular saudável. Esta hortaliça é recomendada também para anêmicos por sua riqueza em ferro, para quem tem dentes fracos ou gengivas inflamadas e, ainda, para aqueles que tem problemas intestinais, devido ao efeito laxante. Os nutricionistas alegam que este tipo de estudo, classificado de nutrição funcional, aproveita as propriedades dos alimentos que interferem na saúde de maneira positiva e que funcionam como remédio. Ressaltam que, além de a beterraba baixar a pressão, ela possui substância oxidante que previne o câncer. Alertam que é importante ingerir outras frutas e legumes que têm o mesmo efeito, como banana, maça, folhas verde-escuras, melão e melancia. Os nutricionistas acrescentam que existem outras maneiras de baixar a pressão arterial. Mudança no estilo de vida a partir da alimentação equilibrada, pratica de exercícios físicos prescrita pelo médico, estar no peso adequado, não fumar e beber auxiliam no tratamento. É ressaltado que, para o equilíbrio do organismo é comer de três a cinco frutas por dia e fazer de duas a três refeições e com hortaliças variadas e coloridas, dentre elas, a beterraba. Os cardiologistas afirmam que os nutrientes da beterraba são uma boa opção para os hipertensos. Mas a pessoa com predisposição à hipertensão tem que diminuir o sal e comer alimentos com fibras. Dizem ainda , se mesmo com todos os cuidados a pressão ainda estiver alta, é imprescindível procurar um médico para tratamento com remédios. Já existem restaurantes e lanchonetes, principalmente as de comidas naturais, disponibilizam aos clientes, o suco de beterraba com laranja, fazendo que o com que a bebida se popularize, pois a beterraba é um legume rico em vitamina A, complexo B, vitamina C (que só é aproveitada pelo organismo quando a beterraba é consumida crua) e em sais minerais, como sódio, que protege o organismo contra a perda excessiva de líquidos, potássio, necessário à atividade muscular normal, zinco, necessário aos tecidos cerebrais, e magnésio, que é constituinte do osso e regula as funções musculares e nervosas. Além de combater os desarranjos do baço e do fígado, suas folhas em forma de cataplasma, com um pouco de gordura, são empregadas como refrescante nas feridas da pele e em inflamações em gengiva. APROVEITE BEM A BETERRABA  O suco pode ser feito temperado com suco de laranja, que lhe dá um sabor deferente, deixando-a mais gostosa  Pode ser frita, como batata,  Batidas no liquidificador com leite  Em sopas com outros legumes  Cozida e servida em forma de saladas  Ao cozinhar, deixe três centímetros de talo e não corte sua parte terminal. Este cuidado evita que a beterraba perca liquido durante o cozimento, o que acentua seu sabor.



A beterraba é uma hortaliça anual herbácea, cuja parte comestível é uma raiz tuberosa.

Rica em açúcares, destaca-se por ter alto teor de ferro, tanto na raiz quanto nas folhas.

Caracteriza-se ainda por ser boa fonte de folato e vitamina C. As folhas são ricas em potássio, cálcio, ferro e beta-caroteno.

As beterrabas são classificadas em três tipos: a açucareira, usada para produção de açúcar, a forrageira, usada para alimentação animal e aquela cujas raízes são consumidas como hortaliça, sendo a mais conhecida no Brasil.

Embora produza melhor em épocas de clima ameno, a beterraba é cultivada durante todo o ano. Quanto aos solos, são preferíveis aqueles leves e bem drenados.

O cultivo pode ser feito direto no canteiro ou por meio de mudas, porém, a segunda forma apresenta melhores resultados. Em ambos os casos, tanto no preparo das mudas nas semeadeiras como no plantio direto na terra, a distância deve ser de 25 a 30 centímetros entre as fileiras e a mesma distância entre si.

Os agrônomos recomendam que a adubagem seja feita com compostos orgânicos e adubo químico e a irrigação deve ser leve e freqüente.

A colheita tem início entre 60 e 70 dias após a semeadura, ou quando as beterrabas atingirem diâmetro maior que cinco centímetros, ainda tenras. Pelo método de transplantio das mudas, o ciclo se prolonga por mais 20 ou 30 dias.

Após a colheita, as raízes são lavadas e, em seguida, comercializadas em maços ou em caixas tipo K. A produtividade normal varia de 15 a 30 toneladas de raízes tuberosas por hectare. A rotação da cultura deve ser feita com repolho, alface, cenoura, berinjela, adubos verdes e cereais.

As pragas comuns nas lavouras de beterraba são lagartas, nematóides, vaquinhas e pulgões. Já as doenças que mais atingem as plantações são a mancha-de-cercospora, podridão da raiz, mancha de alternaria, ferrugem e míldio.

As principais variedades plantadas no país são Tall Top Early Wonder, Earty Wonder, Asgrow Wonder, Ruby Queen e Detroit Dark Red.

No Brasil, a beterraba é mais cultivada nos estados de São Paulo, Minas Gerais e nos estados da região Sul.


Beterraba

A beterraba é uma raiz que aparece em duas colorações: branca, de onde se extrai o açúcar; e vermelha, que é utilizada na alimentação.

Além do açúcar, esse legume é muito rico em vitaminas A, do Complexo B e vitamina C (que só é aproveitada pelo organismo quando a beterraba é consumida crua) e, em sais minerais, como Sódio, que protege o organismo contra a perda excessiva de líquidos; Potássio, necessário para a atividade muscular normal; Zinco, elemento necessário aos tecidos cerebrais; e Magnésio, que é constituinte do osso e regula as funções musculares e nervosas.

Esta hortaliça é recomendada para anêmicos por sua riqueza em Ferro, para quem tem dentes fracos ou gengivas inflamadas e aqueles que tem problemas intestinais, devido a seu efeito laxante. As pessoas com dentes fracos, atacadas de piorréia, devem fazer uso do suco de beterraba pelo menos três vezes por semana.

A beterraba também é um ótimo remédio para combater os desarranjos do baço e do fígado, enquanto que suas folhas em forma de cataplasma, com um pouco de gordura, são empregadas como refrescantes nas feridas da pele e inflamações em geral.

Para os que sofrem de pedras na bexiga, um remédio eficaz é ferver uma beterraba e tomar seu caldo três vezes ao dia.

O suco de beterraba, por sua vez, é tônico, refrescante e diurético, e combate a litíase renal, descongestionando as vias urinárias.

Ao comprar, escolha beterrabas de cor bem concentrada e tamanho médio. A casca deve ser lisa, sem rachaduras e com folhas brilhantes, sinal de que o legume está fresco. Ao cozinhar essa raiz, deixe 3cm de talo e não corte sua parte terminal.

Esses cuidados evitam que a beterraba perca líquidos durante o cozimento, o que acentua seu sabor e a deixe com cor mais concentrada.

A beterraba pode ser consumida de diversas maneiras: temperada com suco de laranja, que lhe dá um sabor diferente, deixando-a mais gostosa; pode ser frita, como batatas; batidas no liquidificador com leite; em sopas com outros legumes, ou ainda cozida e servida em forma de saladas. São pratos muito nutritivos.

Seu período de safra é de agosto a fevereiro.

Cem gramas de beterraba fornecem 42 calorias e igual quantidade de folhas desta hortaliça fornecem 38 calorias.

A beterraba é uma raiz

Existe a beterraba branca, de onde se extrai o açúcar, e a vermelha, usada em saladas, sopas, suflês, sucos, etc…

A beterraba é muito rica em vitamina A, vitamina C, e do Complexo B.

É recomendada para combater a anemia, por conter uma grande quantidade de ferro, e tem efeito laxante.

Em 1747, um alemão, Margraff, extraiu o açúcar da beterraba, mas industrializá-lo ainda ficava inviável, devido ao preço de custo.

Em 2 de janeiro de 1812, Delessert, que concretizava a extração industrial do açúcar da beterraba, oferece a Napoleão I o primeiro pão de açúcar.

Este mercado foi crescendo, e em 1875, a França, primeiro produtor de açúcar da Europa, produzia 450 mil toneladas.

Para evitar que a beterraba perca muito liquido durante o processo de cozimento, deixe 3cm de talo, e não corte a sua parte terminal.

Variedades

São as seguintes:

Vermelha Chata do Egito
Redonda
Roxa Comprida

Pragas e Moléstias

Os insetos que atacam são a vaquinha, a lagarta-rosca e a larva-minadora das folhas. As moléstias mais comuns são a podridão da raiz, mancha alternária (folhas), o tombamento e a ferrugem.

Curiosidades

A extração industrial do açucar de beterraba começou por volta de 1805, em face do bloqueio continental imposto por Napoleão.

Beterraba

A beterraba (gênero Beta) é uma planta herbácea da família das Quenopodiáceas, por Cronquist, ou das Amarantáceas, pela APG.

O nome é derivado do substantivo francês betterave (sendo bette a acelga, e rave nabo).

A raiz tuberculizada, serve para além do fim culinário, produção de açúcar (sacarose).

Também existe uma variante cultivada para alimentação animal. Pode ser branca ou vermelha.

É muito rica em vitaminas A, do Complexo B e vitamina C (que só é aproveitada pelo organismo quando a beterraba é consumida crua) e, em sais minerais, como Sódio, que protege o organismo contra a perda excessiva de líquidos; Potássio, necessário para a atividade muscular normal; Zinco, elemento necessário aos tecidos cerebrais; e Magnésio, que é constituinte do osso e regula as funções musculares e nervosas.

Beterraba fresca também contém folacina e carotenóides, incluindo beta-caroteno e um fitoquímico bioflavonóide menos conhecido chamado antocianina, que é um poderoso antioxidante o qual potencializa a atividade da vitamina C.

É recomendada para anêmicos por sua riqueza em Ferro, para quem tem dentes fracos ou gengivas inflamadas e aqueles que tem problemas intestinais, devido a seu efeito laxante.

As pessoas com dentes fracos, atacadas de piorréia, devem fazer uso do suco de beterraba pelo menos três vezes por semana.

Também é um ótimo remédio para combater os desarranjos do baço e do fígado, enquanto que suas folhas em forma de cataplasma, com um pouco de gordura, são empregadas como refrescantes nas feridas da pele e inflamações em geral.

Para os que sofrem de pedras na bexiga, um remédio eficaz é ferver uma beterraba e tomar seu caldo três vezes ao dia.

O suco de beterraba, por sua vez, é tônico, refrescante e diurético, e combate a litíase renal, descongestionando as vias urinárias.

Destaca-se como uma das hortaliças mais ricas em ferro, tanto na raiz quanto nas folhas.

Quando em condição natural, a beterraba se conserva por até uma semana, se mantida em local fresco e sombreado. Em geladeira, pode ser mantida por até 15 dias, embalada em saco de plástico perfurado. Quando guardadas já descascadas, raladas ou picadas, sua durabilidade será reduzida a três ou quatro dias devendo obrigatoriamente serem conservadas em geladeira, dentro de saco ou vasilha de plástico.